Publicado por: Lohran Anguera Lima | 25/02/2011

Prêmio Greenish 2010

O Prêmio Greenish Brasil – uma das maiores premiações do surf nacional – apresentou, na noite do dia 24 de fevereiro de 2011, a versão mais moderna, endinheirada e interessante da sua história: o Prêmio Greenish Brasil 2010 (2010 devido ao fato de as ondas concorrentes terem sido surfadas no referido ano; as ondas surfadas no presente ano concorrerão ao Prêmio Greenish Brasil 2011, cuja premiação será realizada em 2012).

Relacionar a Greenish ao ato de ser visionário é pleonasmo vicioso. Além de promover, anualmente, um evento de tamanha magnitude e importância como esse, a marca trouxe, na premiação dessa noite, três novidades estupendas: a primeira foi a mudança da localidade (de Fernando de Noronha para Florianópolis; as restrições em Noronha impediam que a premiação recebesse as devidas cobertura e atenção da mídia); a segunda foi a criação de duas novas categorias (Melhor Tubo e Melhor Aéreo); a terceira, e mais espetacular delas, foi a transmissão, ao vivo, via internet, de toda a cerimônia de premiação (novidade empregada no SURFER Poll Awards 2010 – premiação realizada pela revista americana SURFER).

A versão 2010 do Prêmio Greenish Brasil distribuiu R$63.000,00 aos vencedores da noite: a maior quantia da história das premiações nacionais. Entretanto, a atitude mais louvável da Greenish foi a de premiar, além dos surfistas (é óbvio), os shapers e cinegrafistas, isto é, aqueles os quais não aparecem na foto e no vídeo, mas que são primordiais para que o surfista apareça.

Três foram as categorias concorridas: Melhor Tubo, Melhor Aéreo e Maior Onda. A categoria Melhor Tubo teve, apenas, uma onda inscrita (um canudo pesadíssimo surfado em Noronha por Bruno Santos, campeão do Billabong Pro Teahupoo 2008); desse modo, o niteroiense foi campeão automaticamente. A categoria Melhor Aéreo foi bastante disputada, contando, inclusive, com uma onda do top do WT Jádson André; entretanto, quem venceu – e com justiça – foram as plasticidade e progressividade extremas de Ricardo Wendhausen, o Riquinho. A categoria Maior Onda, mais tradicional e mais aguardada das três, foi, também, a mais acirrada da noite; Luel Felipe desbancou seus adversários e, com uma bomba surfada em Noronha, sagrou-se campeão do evento, recebendo R$25.000,00.

A Greenish e o Petrônio Tavares (criador e dono da marca), nesses 5 anos de Prêmio Greenish Brasil, conseguiram o meu respeito e minha admiração por incentivar, promover e premiar uma competição tão saudável, digna e bonita como essa. Premiar shapers e cinegrafistas, além dos surfistas, é algo raro e, inquestionavelmente, justo. Que essa premiação continue por quanto tempo for possível. O Near The Ocean se dispõe, sempre, a ajudar uma proposta tão bacana como essa. Parabéns, Petrônio! Parabéns, Greenish!

Muito obrigado a todos,

Lohran Anguera Lima.

Luel Felipe, o vencedor da categoria Maior Onda. Foto: James Thisted.


Responses

  1. Parabéns a todos os vencedores e a você Lohran por trazer notícias fresquinhas como esta. Imagino que deva ter trabalhado de madrugada para postar logo cedo, algo que ocorreu ontem à noite. Parabéns ao Surf e àqueles de dele se fortalecem


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias